un tal marra

mentras haxa escrav@s voluntári@s, haberá amos, e portanto, non haberá persoas libres

trono no rio celeiro

hoxe as nubes pasan e de cando en vez tapan o sol

despois déixano alumar de novo

renace a vida cada vez que sae

catrocentos vinte menceres nun só dia

cantan os paxaros é martes

o rio os campos

onde antes habia erva agora hai millo para ensilar

e a amenaza do asfalto

agroman os marcos da expropiación

expro01.jpg

2007/06/12 - Posted by | nubes, o do dia

Ainda sem comentários.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: