un tal marra

mentras haxa escrav@s voluntári@s, haberá amos, e portanto, non haberá persoas libres

fotos_635 á luz da lua chea

©XOSÉ MARRA

Lugo, 24 febreiro 2013          ©xosé marra

ISTO DE ABAIXO É PUBLICIDADE, IGNÓRAA:

Anúncios

2013/02/25 - Posted by | fotografia, nubes

1 Comentário »

  1. O lobishome de Xinzo, ou de trolua polas costas da raia entre arzanhas as Travancas, ou polo Tomonte e Varonceli e a súa Recomba da ladeira correndo, fuxindo dos delitos ca súa esquizofrenia lle votaba enriba. El berrando Berrande a cima, cas mans diante das fazulas e pedindo un morte lixeira e sen dooor algún. O lobishome morrendo cada noite, cada mes un pouco no seu síndrome sociateiro, social de xente sinalando ao culpable dun neno que cando naceu xa naceu con rabo de porco. Unha tristura.
    Certos exámens, cando había que estudiar polas noites, nas materias máis fortes. Mirabamos as fiestras os reflexos das lúas cheas.
    Tempos antergos, tempus fugit.
    Eso.

    Comentar por d:D´ | 2013/02/26


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: